For every Dream… Some Prudence!

I truly believe that dreams come true. I also believe that for every dream there are ingredients that should be part of the magic cauldron. One of them? Prudence. Mostly if this dream is related to a professional change.

I watch more and more cases of people wishing to change their job. They want to start doing what really gives them pleasure and satisfaction. You sure know what I’m talking about. Or because you are or have already been in this situation, or because you know someone who is.

Of course it should be part of our ideal of life, work in some area that makes us get up in bed with the will and the thought “Let’s do it!”. At the same time we sketch an inner smile. But … all at the right time!

Two questions arise: “Where does prudence come in, when we prepare ourselves, to make a dream come true?” And “What’s the right moment?”. The answer turns out to be the same for both questions.

To be prudent is to be careful to come up with a clear and concrete plan of how to achieve this dream. When we are assertive in planning, we reach our goal at the right time. The right time is one in which we have the capacity, availability and lightness to not only put our ideas into practice but also to maintain our emotional, physical and mental balance while these changes are not fully sustained.

If we risk a professional change that we believe leads us to the realization of a dream or ideal of life, we have to take into account that there is a harder and more demanding period in this process. To mitigate this “hardness” some prudence is important.

For instance, I do not advise anyone, who has bills to pay at the end of the month, family responsibilities, or other duties of a mandatory nature, to simply leave his or her job to go ahead with this dream-winning adventure. Obviously I am talking about cases where it’s the salary of the current job that pays the bills. If there is no contingency plan or a guarantee that financial and family stability is not affected, PLEASE be cautious.

Think with me:

  • There are of course challenges to overcome that are unknown until the moment they arise;
  • What’s supposedly the source that gives us pleasure, comes to have the connotation of work. When it becomes work, if it does not allow you to immediately get an income that pays the bills at the end of the month, it will lead to a replacement of pleasure for stress and pressure.
  • The brightness of the eyes can turn into tears that run down your face.
  • Without a proper plan, there will be no more pleasurable moments, because the constant concern will be to “make” money.
  • The “pessimistic” and insecure side that exists in each of us (in whatever scale) begins to occupy the largest space within us and quickly leads us to think that it was the wrong decision.

You know, a lot of the decisions we make when we’re so happy about something going on, are not the wrong decisions. They are right decisions at the wrong time.

These moments when we are radiant with the possibility of working on what gives us pleasure is only our interior giving us a sign that the way is there. It’s just a way to validate our choice. But that does not mean that it has to be THAT MOMENT.

Beware of unbridled enthusiasm … Beware of uncontrolled happiness. It’s there that recklessness dwells and with it many of the challenges you can avoid.

Go on with your dreams … Conquer your ideal of life. But do it through an objective, concrete, assertive, and realistic plan.

The suggestion I give you: keep your work and invest time in the sustained creation of your future activity. So that one day you can make the transition with tranquility. You know, this is how you will also give the best model to your children, family, friends, acquaintances …

May courage and optimism be a constant … and prudence accompany them!

With peace…

Marta P. Rodrigues

______________________________________________________________________________

Para Cada Sonho… Uma Dose de Prudência!

Se há pessoa que acredita em sonhos e na concretização dos mesmos sou eu! Acredito também que para cada sonho há ingredientes que devem fazer parte do caldeirão mágico. Um deles? A prudência. Principalmente se esse sonho está relacionado com uma mudança profissional.

Assisto a cada vez mais casos de pessoas que desejam mudar de profissão. Querem passar a fazer o que realmente lhes dá prazer e satisfação. De certeza que sabem do que eu estou a falar. Ou porque estão ou já estiveram nessa situação, ou porque conhecem alguém que esteja.

Claro que deve fazer parte do nosso ideal de vida, trabalharmos em alguma área que nos faça levantar da cama com vontade e com o pensamento “Vamos a isto!”, ao mesmo tempo em que esboçamos um sorriso interno. Mas… tudo no momento certo!

Levantam-se então duas questões: “O que é ter prudência na concretização de um sonho ou objetivo de vida?” e “Qual é o momento certo?”. A resposta acaba por ser a mesma para ambas as questões. 

Ter prudência passa por ter o cuidado de se elaborar um plano claro e objetivo de como se chegar à concretização desse sonho. Quando somos assertivos na elaboração e concretização desse plano, alcançamos o nosso objetivo naquele que é o momento certo. O momento em que temos a capacidade, disponibilidade e leveza para não só pormos as nossas ideias em prática, como para conseguirmos manter o equilíbrio emocional, físico e mental enquanto essas mudanças não estão totalmente sustentadas.

Se arriscamos numa mudança profissional que acreditamos que nos leva à concretização de um sonho ou ideal de vida, temos de ter em conta que há um período mais duro e exigente nesse processo. Para atenuar essa “dureza” é importante a tal prudência. 

Por exemplo, não aconselho a que alguém que tenha contas para pagar ao final do mês, responsabilidades familiares ou outras que sejam de carácter obrigatório, simplesmente se despeça do seu emprego para embarcar nesta aventura de conquistar um sonho. Obviamente que estou a falar de casos em que é do salário da atividade atual que se pagam as contas. Não havendo um plano de contingência ou uma garantia de que a estabilidade financeira e familiar não fica afetada, POR FAVOR, sejam prudentes.

Pensem comigo:

  • Há naturalmente desafios a superar e que são desconhecidos até ao momento em que surgem;
  • Aquilo que é supostamente a fonte que nos dá prazer, passa a ter a conotação de trabalho. Ao passar a ser trabalho, se não permite alcançar de imediato um rendimento que pague as contas ao fim do mês, levará a uma substituição de prazer por stress e pressão.  
  • O brilho dos olhos, pode transformar-se em lágrimas que escorrem pela cara.
  • Sem um plano adequado, deixarão de haver quaisquer outros momentos de prazer, porque a preocupação constante será a de “fazer” dinheiro.
  • O lado “pessimista” e inseguro que existe em cada um de nós (na escala que for), começa a ocupar o maior espaço dentro de nós e depressa nos leva a pensar que foi a decisão errada.

Sabem, grande parte das decisões que tomamos quando estamos muito felizes com a possibilidade de algo acontecer, não são decisões erradas. São decisões certas no momento errado.

Esses momentos em que ficamos radiantes quando nos imaginamos a trabalhar de uma ou outra forma, é apenas o nosso interior a dar-nos um sinal de que o caminho é por ali. É apenas uma forma de validarmos a nossa escolha. Mas isso não significa que tenha de ser NAQUELE MOMENTO. 

Cuidado com o entusiasmo desmedido… Cuidado com a felicidade descontrolada. É lá que mora a imprudência e com ela muitos dos desafios que podemos evitar.

Prossigam com os vossos sonhos… Conquistem o vosso ideal de vida. Façam-no através de um plano objetivo, concreto, assertivo e realista.

A sugestão que vos dou: mantenham os vossos trabalhos e invistam tempo na criação sustentada da vossa atividade futura. Aquela sim que seja a vossa fonte de dinheiro e fonte de prazer. Invistam esse tempo, para que um dia possam fazer a transição com tranquilidade. Sabem, é dessa forma que passarão também o melhor modelo aos vossos filhos, familiares, amigos, conhecidos…

Que a coragem e o otimismo sejam uma constante… e que a prudência os acompanhe!

Em paz…

Marta P. Rodrigues


Facebookpinterestlinkedinmailby feather

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Não és Especial!

January 17, 2019

ARTEM Mindful Home!

February 25, 2019